Bouchonée – O defeito das rolhas

[atualizado-em format='M d, Y']Atualizado em [/atualizado-em]

Bouchonée é uma expressão francesa usada para caracterizar um vinho com aromas desagradaveis associados a mofo, como jornal mofado, cachorro molhado, pano úmido ou porão úmido. São provenientes de uma contaminação causada pela presença dos compostos químicos 2,4,6-tricloroanisol (TCA).

 
A expressão significa “arrolhado”, e tem origem da palavra francesa “bouchon” (rolha). Também é conhecido como “doença da rolha”, “cheiro a rolha”, ou simplesmente como TCA. É um assunto muito recorrente no mundo dos vinhos, uma vez que a rolha é o vedante mais utilizado, sendo Portugal o líder mundial na produção.
 
Na maioria das vezes a contaminação é associada à rolha, isso porque durante sua produção, a cortiça passa por um processo de branqueamento e esterilização com o objetivo de eliminar ações microbiológicas. No entanto, alguns fungos de ocorrência natural, quando presentes no processo, reagem ao cloro produzindo derivados de anisol clorado.
Devido ao alto índice de contaminação nas décadas de 80 e 90, a industria adotou como medida preventiva, a proibição do uso de cloro no processo.
 
Mas a rolha não pode ser considerada a única vilã da história. Existem materiais nas adegas que também possuem um poder de afinidade com o TCA, barricas, paletes, caixas de papelão, mangueiras e até produtos como a bentonite.
 
Por isso recomenda-se evitar o uso de produtos à base de cloro, até mesmo água tratada dentro das adegas (alguns produtores consideram preciosismo). A consequência de uma contaminação sistêmica é muito pior, pois acaba por contaminar o lote ao invés de apenas uma garrafa.
 
Embora nos últimos anos as empresas tenham investido em pesquisas para remover a contaminação, até o momento não existe um tratamento100% eficaz. Vale ressaltar que o TCA não é prejudicial à nossa saúde e o seu limiar de percepção pode variar conforme a sensibilidade olfativa do consumidor, o tipo de vinho, entre outros fatores.
 

E você, já se deparou com um vinho Bouchonée?

Leia também… Conheça o Sotolon, um composto aromático muito comum em vinhos fortificados. 

Colaboradora: Sara Gomes

Eduardo Amorim

Eduardo Amorim

Fundador
Enólogo com Mestrado e Licenciatura em Enologia e Viticultura,
Sommelier ABS-SP/ASI, Formador CCP, Wine Educator.

Veja também