Vinho Madeira – a joia da Pérola do Atlântico

[atualizado-em format='M d, Y']Atualizado em [/atualizado-em]
Vinho Madeira - a joia da Pérola do Atlântico
Foto: discoveringmadeira.com | Museu da Madeira Wine

Sabiam que a independência dos Estados Unidos da América foi brindada com um cálice de vinho Madeira? E que George Washington, o primeiro presidente dos EUA, não dispensava um copo de vinho Madeira? 

Curioso, não é? 

Ora, são estas particularidades aliadas ao seu processo de produção, nesta maravilhosa ilha, que constituem um enorme peso cultural. Foi com a descoberta da ilha, que os seus solos foram palco da produção do vinho, que rapidamente conquistou cantos do mundo e atravessou oceanos. 

E agora, para que nunca seja esquecido, e sempre valorizado, um brinde ao Vinho Madeira!

Terras à vista!

Por mar desconhecido iam às naus que nada temiam, quando em 1419, João Gonçalves Zarco, Tristão Vaz Teixeira e Bartolomeu Perestrelo, três navegadores portugueses, chegaram à ilha da Madeira. Rapidamente exploraram e ocuparam as suas terras com a cultura do trigo, vinha e cana-de-açúcar. 

Crê-se que, 25 anos após a ocupação da ilha, o Vinho Madeira já era exportado. No decorrer do século XV, a cultura da vinha foi crescendo. Entretanto, é com a descoberta da América, por parte de Cristóvão Colombo, que o vinho da Madeira será determinante para o povo madeirense e americano.

O Vinho Madeira e a sua elevada reputação

Vinho Madeira
Foto: visitmadeira.com

É uma bebida licorosa, com uma graduação alcoólica entre os 17º e 22º.  Pode ser produzida a partir de castas tradicionais como o Sercial, Boal, Verdelho, Tinta Negra e Malvasia. Esta última, terá sido a primeira casta a ser introduzida na ilha. 

Conforme o seu grau de doçura, pode ser classificado como Seco, Meio-Seco, Meio-Doce e Doce.  Com a casta Sercial, o vinho será seco; na casta Verdelho, um vinho meio-seco; no Boal meio-doce e na Malvasia um vinho doce. 

No século XVII a produção e a exportação do Vinho Madeira já tinha uma reputação boa, sendo que as suas exportações chegaram, inclusive, a triplicar. Este acontecimento faz com que os comerciantes ingleses que viviam na ilha, tivessem uma posição privilegiada no comércio com as Américas e Índias. Foi assim, que o vinho Madeira começou a relacionar-se com o novo mundo. 

O vinho Madeira não era um vinho comum, era associado a eventos importantes, como casamentos, funerais ou até o nascimento de uma criança.
 

O brinde da Independência Americana com o Vinho Madeira

Vinho Madeira - Independência dos Estados Unidos da América
Foto: visitmadeira.com | Independência dos Estados Unidos da América

A ligação entre o vinho da Madeira e os Estados Unidos, leva-nos a viajar até ao século XVII. A América já era um dos destinos da exportação do vinho. 

Em New England o vinho chega em 1641, em New Haven a 1642, Boston em 1645 e chega a Nova Iorque em 1687. No século seguinte a sua presença já é consolidada tornando-se, portanto, uma bebida de eleição para os americanos. 

Admirado por todos, foi a bebida escolhida para brindarem a independência dos Estados Unidos da América, naquele dia de verão, 4 de julho de 1776.  

Com isto, quero tocar num tema importante. O vinho, além de ser uma bebida capaz de nos proporcionar bons momentos, é uma bebida com um peso significativamente cultural. É detentor de uma importância histórica, visto que, desde os tempos mais remotos se tornou num produto importante na evolução económica e sociocultural de várias civilizações. 

George Washington não prescindia do bom néctar madeirense, estreitando a relação entre a Pérola do Atlântico e os Estados Unidos. O vinho torna-se um símbolo histórico e cultural para a Madeira e para todo o mundo. Não restam dúvidas da importância que este revela não só na trajetória de um passado coletivo, e consequentemente, como património cultural.
  

Madeira Wine, o museu do vinho

Vinho Madeira - Museu da Madeira Wine
Foto: discoveringmadeira.com | Museu da Madeira Wine

Não deixe de visitar a Madeira para se maravilhar com a beleza desta ilha e desfrutar de tudo o que ela tem para oferecer. Conheça o Museu da Madeira Wine, no Funchal.  Está situado dentro de um mosteiro medieval, e são as adegas mais antigas do vinho Madeira, que remontam aos séculos XVII e XVIII. 

O edifício começou por ser o Convento de São Francisco, e mais tarde foi então convertido a adega. As adegas podem ser visitadas e proporcionam a todos os seus visitantes, salas para provas de vinho e loja de conveniência. Há uma área com a exposição sobre a história do vinho, desde o processo da vinha até à sua transformação final. 

Há um laço entre o património e o vinho desta maravilhosa ilha (sou suspeita), que não podemos desvalorizar. É um vinho com história, que atravessou mares desconhecidos e foi celebração de independência.  

Fontes: Direcção Regional do Turismo da Madeira; Vieira, A. (2015). História do Vinho Madeira: O Vinho Madeira, a independência dos Estados Unidos da América e os Presidentes.
 

Veja também: Leonardo da Vinci e a sua paixão por vinhos. 


Vanessa Miranda

Vanessa Miranda

Colaboradora
Mestranda em Património Cultural,
Licenciada em Gestão de Atividades Turística.

Veja também