Desavinho – Ausência de fecundação das flores da vinha

[atualizado-em format='M d, Y']Atualizado em [/atualizado-em]

Desavinho da videiraO desavinho é um acidente fisiológico que se carateriza pela ausência de fecundação das flores, o que leva a que estas não se transformem em fruto. Desta forma, os cachos formados apresentam-se anormalmente frouxos e com poucos bagos, o que, em situações de elevada ocorência registra prejuízos elevados ao viticultor.

Este fenómeno tem origens diversas, que podem ser Nutricionais (carência de nutrientes como o boro (B), ferro (Fe) e azoto (N)); Climáticas (ocorrência de chuva e granizo); Acidentais (como a aplicação de caldas cúpricas durante a floração); Genéticas (anomalias florais) e de Natureza fisiológica (sensibilidade das castas ao desavinho, por exemplo a Touriga Nacional, Grenache e Alvarelhão).

No que respeita ao desavinho provocado por condições meteorológicas desfavoráveis, este fenómeno é frequente em anos em que o período da floração é pouco soalheiro, frio e eventualmente chuvoso. Estes fatores em simultâneo conduzem a uma diminuição ou mesmo a um bloqueio da fotossíntese o que leva a uma menor produção de açucares. Os efeitos são tanto mais acentuados quanto menor a quantidade de reservas acumuladas no ano anterior.

Em anos em que as temperaturas são elevadas dá-se uma grande mineralização do azoto  no solo, conduzindo a um vigor excessivo da videira fazendo com que o crescimento dos ramos seja favorecido em detrimento dos cachos.

Foto: Sogrape Vinhos

Ana Cristina Duarte

Ana Cristina Duarte

Colunista
Viticultora com Mestrado e Licenciatura em Engª. Agronómica.

Veja também