Vinhos produzidos em Ovos de concreto

[atualizado-em format='M d, Y']Atualizado em [/atualizado-em]
Ovos de Concreto Enológicos
Foto: Passionate Wine

Você já ouviu falar em Vinhos produzidos em Ovos de concreto? Michael Chapoutier, tradicional produtor do Vale do Rhône, foi quem teve a ideia. O projeto foi desenvolvido juntamente com Marc Nomblot, fabricante de tanques de concreto enológicos desde 1922.
 

Inspirado nas ânforas romanas

Seu formato é inspirado nas antigas ânforas romanas e produzido sem qualquer uso de aditivos químicos. De acordo com a Nomblot, areia lavada do Loire, cascalho, égua de nascente e cimento.

O Ovo de Concreto pode ser usado na produção de vinhos brancos e tintos, no processo de fermentação alcoólica, no amadurecimento ou no armazenamento do vinho. Entre os benefícios destacados pelos enólogos estão a preservação do perfil aromático frutado das uvas e das características do Terroir.

Características enológicas dos Ovos de Concreto

O concreto possui características importantes no processo de produção do vinho. Sua porosidade permite uma micro-oxigenação semelhante dos recipientes de madeira, porém com menor taxa de evaporação do vinho. Entretanto, sem o aporte aromático proveniente da madeira. 

Devido sua capacidade de micro-oxigenação, seu uso tende a evitar as condições redutoras dos tanques de inox. O isolamento térmico é outra vantagem, sua estrutura espessa estabelece uma barreira à transferência de calor entre a parte interna do ovo e o exterior.

A escolha do formato oval 

Seu formato oval não é apenas uma referência de design, pois há um princípio termodinâmico que o torna extremamente notável. 

Isso ocorre porque o calor produzido durante a fermentação diminui gradualmente a densidade do mosto e, em paralelo, a irregularidade do formato faz com que haja uma diferença de temperatura entre a parte inferior e a superior do ovo. 

A parte inferior está concentrada a maior área de fermentação tornando-a mais quente. Assim fazendo com que o mosto, que perdeu a densidade, seja empurrado suavemente para a parte superior (mais fria).

Quando esse mosto é resfriado, retorna pelas paredes laterais favorecido pela ausência de cantos e superfície lisa. Esse ciclo contínuo é chamado vórtice. 

Mesmo após a fermentação, a diferença de temperatura se mantém entre as partes permitindo a constante movimentação, potencializando o estágio sobre as borras, conferindo ao vinho textura e aromas.

Curiosamente, tempos depois a Nomblot foi vendida e Michel Chapoutier se arrependeu por não ter patenteado sua ideia.

E pra você que ainda não conhecia sobre vinhos produzidos em ovos de concreto, ai vão 4 indicações para poder matar sua curiosidade e sua sede.

  • Hermitage Monier de la Sizeranne 2007

Casta: Syrah | Região: Hermitage, Rhône, França | Produtor: Maison M. Chapoutier | Onde comprar: Drinks & Co

Ovos de Concreto - M. Chapoutier

  • Soalheiro Terramatter 2018 |

Casta: Alvarinho | Região: Melgaço, Minho, Portugal | Produtor: Quinta de Soalheiro | Onde comprar: Garrafeira 5 Estrelas

Ovos de Concreto - Quinta de Soalheiro

Ovos de Concreto - Zuccard

Ovos de Concreto - Vinícola Guaspari


Conheça também a produção de vinhos com a técnica de Maceração Carbônica.


Eduardo Amorim

Eduardo Amorim

Fundador
Enólogo com Mestrado e Licenciatura em Enologia e Viticultura,
Sommelier ABS-SP/ASI, Formador CCP, Wine Educator.

Veja também